quinta-feira, 10 de março de 2016

China, momento especial


Preços ao produtor da China caem pelo 48º mês consecutivo

     





Os preços ao produtor da China continuaram a cair em fevereiro, mas o declínio foi menor em um sinal indicativo da melhora da demanda agregada, mostraram nesta quinta-feira dados oficiais do Departamento Nacional de Estatísticas (DNE). 

  O Índice de Preços ao Produtor (IPP), que mede os custos dos produtos na porta da fábrica, caiu 4,9% em termos anuais, ante uma queda de 5,3% em janeiro e 5,9% em dezembro. 

  O indicador marcou o 48º mês consecutivo de declínio devido à pressão proveniente da desaceleração econômica e o excesso de capacidade de produção da China. 

  Qu Hongbin, chefe-economista do HSBC na China, atribuiu a menor contração à estabilização de commodities durante o período. 

  Em uma base mensal, o IPP de janeiro perdeu 0,3%. 

  Os preços dos materiais para produção tiveram queda de 6,5% em fevereiro, respondendo por 4,8 pontos percentuais da queda no IPP, enquanto os de bens de consumo diminuíram 0,4%. 

  Os dados vieram acompanhados da divulgação do Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que subiu 2,3%, com o aumento dos preços dos vegetais devido ao tempo frio e à demanda na Festa da Primavera. 

  No entanto, Qu indicou que o aumento da inflação se deve principalmente a fatores temporários, e a pressão descendente sobre os preços não-alimentares ainda existe.
  "Não há flexibilização dos riscos deflacionários", acrescentou.


Província chinesa de Hebei fechará mais empresas poluentes
  
A Província de Hebei, no norte da China e vizinha de Beijing, planeja uma limpeza de suas pequenas empresas poluentes neste ano. 

O departamento de inspeção ambiental provincial disse que enviaria inspetores a pequenas empresas de 10 indústrias poluidoras, incluindo fabricação de papel, refinamento, fabricação de couro, impressão, manufatura de pesticida, tintura e galvanoplastia. 

As companhias equipadas com instalações ambientais abaixo do padrão serão fechadas até o final de 2016, de acordo com um comunicado do departamento.
A província também subsidiará as empresas de carbonização, farmacêuticas, metais, de couro e outras plantas a instalar aparelhos para limpar seus resíduos descartados, disse o comunicado. 

O novo plano de água poluente de Hebei ganhou força no início de fevereiro, prometendo que o governo provincial investiria 200 bilhões de yuans (cerca de US$ 31,2 bilhões) contra a poluição da água até 2020. 

Mais da metade das 10 cidades mais poluentes da China fica em Hebei, cujo pilar industrial inclui indústrias de ferro e aço, de cimento e de vidro.
por Xinhua


Leia