sexta-feira, 7 de outubro de 2016

O gigante se movimenta



Primeiro-ministro chinês pede por maior aprofundamento da reforma
2016-10-01 16:09:04portuguese.xinhuanet.com 







 O presidente chinês Xi Jinping (c), o primeiro-ministro chinês Li Keqiang (3-e), junto com outros altos líderes como Zhang Dejiang (3-d), Yu Zhengsheng (2-e), Liu Yunshan (2-d), Wang Qishan (1-e) e Zhang Gaoli (1-d) participam de uma recepção realizada pelo Conselho de Estado para celebrar o 67º aniversário da fundação da República Popular da China, em Beijing, capital da China, em 30 de setembro de 2016. (Xinhua/Ju Peng)


Beijing, 1º out (Xinhua) -- O premiê chinês Li Keqiang pediu na sexta-feira por um maior aprofundamento da reforma para acabar com os gargalos institucionais que dificultam o desenvolvimento econômico e a justiça social.

A fala do primeiro-ministro ocorreu um dia antes do Dia Nacional da China, celebrado em 1º de outubro, ao discursar numa recepção no Grande Palácio do Povo para celebrar o 67º aniversário da fundação da República Popular da China.

O presidente chinês Xi Jinping, junto com outros altos líderes como Zhang Dejiang, Yu Zhengsheng, Liu Yunshan, Wang Qishan e Zhang Gaoli, assim como cerca de 1,2 mil pessoas do país e do exterior, estiveram presentes na recepção.



Li, em nome do Comitê Central do Partido Comunista da China e do Conselho de Estado (gabinete chinês), expressou saudações a todos os chineses e gratidão aos amigos estrangeiros que contribuíram para o desenvolvimento do país.

Ele disse que a China passou por mudanças significativas nos últimos 67 anos, particularmente após a reforma e a abertura nos anos 1970.

Em 2016, o país conseguiu sustentar um crescimento moderado em demandas gerais ao mesmo tempo que tem promovido as reformas estruturais no lado da oferta, e mantido a estabilidade econômica e o aperfeiçoamento da sua estrutura econômica, disse Li.

O desenvolvimento nacional vem sendo acompanhado pela melhora no bem-estar das pessoas, continuou, citando a organização da cúpula do G20 de Hangzhou e os resultados do país nas Olimpíadas e Paraolimpíadas do Rio como razões de orgulho.

Ele disse que o desenvolvimento econômico deve ser a missão central da China.

Esforços devem ser feitos para manter crescimento econômico médio-alto enquanto se elevam as capacidades inovadoras e se desenvolvem os setores de médio a alto nível, disse Li.

As autoridades devem trabalhar para aumentar a renda das pessoas, melhorar a assistência social, promover a proteção ambiental e a segurança alimentar, impulsionar o sentimento de realização, satisfação e segurança dos chineses, e tirar mais pessoas da pobreza.

Eles também devem promover de maneira abrangente o Estado de direito, e criar um ambiente justo para permitir a competição igual entre todas as entidades de mercado, além de fornecer serviços públicos iguais e acessíveis para todos, disse.

"Nós devemos abrir mais, promover a Iniciativa 'Um Cinturão e Uma Rota' e facilitar a cooperação internacional na capacidade produtiva", assinalou o primeiro-ministro.

Li disse que o governo chinês permanecerá fiel à política "um país, dois sistemas" nos assuntos de Hong Kong e Macau, e permitirá às duas Regiões Administrativas Especiais desempenharem seus papéis na modernização da China.

Sobre os laços através do Estreito de Taiwan, Li disse que a parte continental da China continuará a apoiar o princípio de uma só China, seguirá o Consenso 1992, e se oporá a todas as formas de "independência de Taiwan", para proteger e promover o desenvolvimento pacífico dos laços através do Estreito, disse.

"Nós seguiremos uma política externa independente de paz, protegeremos firmemente nossos interesses essenciais nacionais, e nos uniremos com todos os outros países para criar uma comunidade de destino e interesses comuns", acrescentou, pedindo por esforços intensificados para a realização do Sonho Chinês de grande rejuvenescimento da nação chinesa.