quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Segurança global



Xi Jinping diz que comunidade internacional deve cooperar em segurança global
2017-09-27 09:09:34portuguese.xinhuanet.com 








O presidente chinês Xi Jinping posa para fotos com os membros do Comitê Executivo e secretário-geral da Interpol  antes da cerimônia de abertura da 86ª Assembleia Geral da Interpol em Beijing, capital da China, em 26 de setembro de 2017. (Xinhua/Li Tao)

Beijing, 26 set (Xinhua) -- A China espera trabalhar de perto com os países e as organizações internacionais em segurança mundial e construir em conjunto uma segurança universal para os seres humanos, disse na terça-feira o presidente Xi Jinping.

Xi fez as declarações em Beijing ao fazer um discurso durante a cerimônia de abertura da 86ª Assembleia Geral da Interpol.

Ele elogiou o papel importante da Interpol na aplicação da lei mundial, na cooperação de segurança e combate aos crimes.

Desde que se tornou um Estado-membro da Interpol em 1984, a China compromete-se a desenvolver as cooperações com ela e outros membros e contribui para manter a segurança e a estabilidade do mundo, segundo o presidente chinês.

Para intensificar a aplicação da lei e a cooperação da segurança mundial, Xi propôs reforma e inovação reforçadas, aderindo ao Estado de direito e os benefícios mútuos.

"Os países devem adotar um conceito de segurança comum, abrangente, cooperativa e sustentável e respondem de forma conjunta aos desafios de segurança."

Xi pediu promover a governança de segurança mundial de um modo mais justo, razoável e efetivo.

"Os países e organizações intergovernamentais devem assumir as principais responsabilidades de administração de segurança, enquanto as organizações não governamentais, multinacionais e sociedade civil são encorajadas a trabalhar conjuntamente para isto", assinalou Xi.

Ele pediu que os países sigam a Carta da ONU e os regulamentos da Interpol, seriamente cumpram as convenções contra crimes transnacionais e corrupção e melhorem regulamentos internacionais relevantes.

"Os países, ao manter sua própria segurança, devem levar em conta a segurança de outros", disse Xi. Ele pediu que os principais países ofereçam mais apoio aos países e regiões subdesenvolvidos em segurança e desenvolvimento.

"Oferecer às pessoas um ambiente de vida são e salvo é nossa meta importante", assinalou Xi, acrescentando que a China fez progressos notáveis em combate contra crimes de diversos tipos e em construção de um sistema de prevenção e controle de crimes.

"Cada vez mais pessoas acreditam que a China é um dos países mais seguros no mundo, o que é uma importante contribuição que a China fez para o mundo", disse o presidente chinês. "A China participa ativamente em cooperação mundial em aplicação da lei e governança da segurança do mundo, apoia resolutamente a luta internacional contra terrorismo, faz parte nas cooperações mundiais em combate contra cibercrimes, trabalha em conjunto com outros países em repatriação de fugitivos, combate a fraude de telecomunicações e outros crimes."

O presidente chinês prometeu dar apoios mais fortes à Interpol nos próximos cinco anos, a fim de elevar a influência mundial dela.

Meng Hongwei, presidente da Interpol e vice-ministro da Segurança Pública na China, presidiu a cerimônia de abertura.

Participantes de 158 países e regiões reuniram-se em Beijing para a conferência, que vai até sexta-feira.

Atualmente sediada em Lyon, na França, a Interpol é a segunda maior organização internacional do mundo, depois das Nações Unidas, com 190 membros.