sexta-feira, 7 de abril de 2017

Giogantes à mesa



Presidente chinês chega à Flórida para primeira reunião com Trump
2017-04-07 06:20:07portuguese.xinhuanet.com 


















O presidente chinês Xi Jinping e sua esposa Peng Liyuan chegam ao Aeroporto Internacional de Palm Beach na Flórida, Estados Unidos, em 6 de abril de 2017. Xi chegou aqui para a primeira reunião com o presidente dos EUA Donald Trump. (Xinhua/Liu Weibing)




Palm Beach, Estados Unidos, 6 abr (Xinhua) -- O presidente chinês Xi Jinping chegou na quinta-feira a Palm Beach, na costa sudeste do estado da Flórida dos Estados Unidos, para sua primeira reunião com o presidente norte-americano Donald Trump, a fim de traçar a direção das relações bilaterais em uma nova era.

O avião que transportava o presidente chinês, sua esposa Peng Liyuan e outros membros da delegação aterrissou esta tarde no Aeroporto Internacional de Palm Beach.

Sob o atento olhar de uma entusiasmada multidão, incluindo o secretário de Estado dos Estados Unidos Rex Tillerson e sua esposa, Xi e Peng saíram pela portinhola e saudaram o público antes de descer pela escada do avião de mãos dadas.



Xi e Peng também assistirão a um banquete de boas-vindas organizado por Trump e a primeira dama Melania, disse em 31 de março o vice-ministro das Relações Exteriores da China, Zheng Zeguang.

Sob a atual situação internacional, "a reunião será de grande importância para planejar as relações sino-norte-americanas em uma nova era, avançar o desenvolvimento dos laços bilaterais de uma forma saudável e estável a partir de um novo ponto de partida e promover a paz, a estabilidade e a prosperidade na Ásia-Pacífico, assim como no mundo inteiro", disse Zheng.
Os Estados Unidos são a segunda escala da atual viagem de Xi por dois países depois de uma visita de Estado à Finlândia.

domingo, 19 de março de 2017

Dois gigantes reunidos



China e Arábia Saudita impulsionam parceria estratégica integral
2017-03-16 19:34:18portuguese.xinhuanet.com 









O presidente chinês Xi Jinping (e frente) realiza uma cerimônia de boas-vindas para o rei saudita Salman bin Abdulaziz Al Saud antes de suas conversas em Beijing, capital da China,  em 16 de março de 2017. (Xinhua/Li Xueren)



Beijing, 17 mar (Xinhua) -- O presidente da China, Xi Jinping, e o rei da Arábia Saudita, Salman bin Abdulaziz Al Saud, que está visitando Beijing, concordaram que os dois países fortalecerão sua cooperação em todas as áreas e promoverão sua parceria estratégica integral.

Na reunião de quinta-feira em Beijing, Xi lembrou sua visita à Arábia Saudita no ano passado, durante a qual ele chegou a consenso com o rei Salman para impulsionar as relações bilaterais e consolidar a cooperação em assuntos internacionais e regionais.

O presidente expressou satisfação em ver que o consenso foi implementado por ambos os lados.

A China apoia a Arábia Saudita em seu avanço pelo caminho de desenvolvimento adequado a suas condições nacionais, ao mesmo tempo que mantém a soberania nacional, a segurança e os interesses de desenvolvimento, e desempenha um maior papel nos assuntos regionais e globais, disse Xi.

A China apoia a Arábia Saudita em seu plano "Visão Saudita 2030", e dá as boas-vindas para que o país seja parceiro na Iniciativa do Cinturão e Rota.

A China é um mercado confiável e estável para o petróleo da Arábia Saudita, disse Xi, esperando uma cooperação mais estreita em áreas como energia, comunicação, aviação, finanças e investimento, cultura, educação, saúde pública, tecnologia, turismo, mídia e segurança.

Xi comentou que a China e os países muçulmanos se respeitam mutuamente e são um exemplo de coexistência harmoniosa entre civilizações.

Quanto aos assuntos do Oriente Médio, a China defende o respeito à soberania nacional e a não interferência nos assuntos internos, afirmou Xi.

A China defende a solução de disputas através do diálogo, a redução das tensões em assuntos controvertidos, aproveitar melhor o papel importante da Organização das Nações Unidas e prestar mais atenção à voz de organizações regionais e dos países, acrescentou.

A solução de muitos assuntos no Oriente Médio está no desenvolvimento, assinalou Xi.

Segundo ele, a China deseja impulsionar a Iniciativa do Cinturão e Rota com os países ao longo da rota, incluindo os países do Oriente Médio.

O rei Salman expressou sua adesão à política de Uma Só China, e prometeu consolidar a cooperação com a China nas áreas de comércio, investimento, finanças e energia, com o fim de atualizar sua parceria estratégica integral.

A Arábia Saudita elogia profundamente a posição da China de não interferência em assuntos internos de outros países e de solução das disputas através do diálogo e por meios pacíficos, indicou.

O rei Salman também reconheceu o papel da China na manutenção da paz e segurança internacionais, expressando seu desejo de ver um maior papel da China nos assuntos do Oriente Médio.

Após o encontro, os dois chefes de Estado testemunharam a assinatura de acordos de cooperação em comércio, economia, energia, capacidade, cultura, educação e tecnologia.

Também assistiram à cerimônia de encerramento de uma exibição de patrimônios arqueológicos da Arábia Saudita.

O rei Salman está em uma visita de Estado à China de 15 a 18 de março a convite de Xi. Esta é sua primeira visita à China desde que se tornou rei da Arábia Saudita em 2015.

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Aliados gigantes

Chanceleres chinês e russo se reúnem na Alemanha
2017-02-17 12:11:09portuguese.xinhuanet.com








O ministro chinês das Relações Exteriores Wang Yi (2° e) se reúne com seu homólogo russo Sergey Lavrov (2° d) durante a reunião dos ministros do Exterior do Grupo dos Vinte (G20) em Bonn, Alemanha, em 16 de fevereiro de 2017. (Xinhua/Luo Huanhuan)


Bonn, 17 fev (Xinhua) -- O ministro chinês das Relações Exteriores Wang Yi se reuniu com seu homólogo russo nesta quinta-feira, enfatizando a necessidade de ambas as nações continuar a desempenhar o papel de garantir a estabilidade estratégica nos assuntos globais.

Wang se reuniu com Sergey Lavrov no âmbito da reunião dos ministros do Exterior do Grupo dos Vinte (G20) realizada na cidade de Bonn, no oeste da Alemanha.

Sob o contexto de mudanças complexas na situação internacional e regional, China e Rússia, parceiros estratégicos abrangentes de coordenação, devem continuar a apoiar firmemente uma à outra, assinalou Wang.

Ambos os países devem continuar a aprofundar a cooperação abrangente e desempenhar o papel de garantir a estabilidade estratégica nos assuntos globais, adiantou.

Olhando para o futuro, a China está disposta a manter intercâmbios de alto nível com a Rússia, e fortalecer o alinhamento e a cooperação entre a Iniciativa Cinturão e Rota e o projeto da União Econômica Eurasiática, segundo Wang.

A China também está disposta a manter comunicação e coordenação estreitas com a Rússia nos principais assuntos internacionais e regionais, e desenvolver firmemente uma parceria estratégica abrangente de coordenação com a Rússia, para lidar juntas com os diversos desafios mundiais, indicou Wang.

Lavrov enfatizou que a Rússia trabalhará com a China para organizar as principais agendas bilaterais este ano, e promover a comunicação e cooperação estratégica nos assuntos mundiais.

Os dois mais altos diplomatas também trocaram opiniões sobre a cooperação bilateral sob os quadros do G20 e BRICS.

Ambos concordaram em aprofundar a comunicação e a coordenação entre as duas nações sob o quadro do G20.

Eles defenderam um mecanismo aberto e inclusivo sobre a economia mundial e comércio multilateral, concordaram em melhorar a governança mundial e facilitar o sucesso da Cúpula de Hamburgo do G20.

Wang e Lavrov elogiaram os resultados frutíferos durante os últimos dez anos de cooperação entre as nações do BRICS: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

As duas nações concordaram em aprofundar a cooperação prática em diversas áreas e permitir que o mecanismo do BRICS desempenhe um papel mais importante no processo em direção a um mundo multipolar.

Wang e Lavrov também disseram querer resultados frutíferos da nona cúpula dos líderes do BRICS, que será realizada na cidade costeira de Xiamen, no sudeste da China, em setembro.

Sobre a situação na Península Coreana, eles concordaram em continuar a fortalecer a cooperação para manter a paz e a estabilidade na região, e fazer novos esforços para reiniciar as conversas.



2017-02-17 12:11:09portuguese.xinhuanet.com
O ministro chinês das Relações Exteriores Wang Yi (d) se reúne com seu homólogo russo Sergey Lavrov durante a reunião dos ministros do Exterior do Grupo dos Vinte (G20) em Bonn, Alemanha, em 16 de fevereiro de 2017. (Xinhua/Luo Huanhuan)